Série Guerra dos Tronos 5ª temporada (com spoilers)

Nenhum comentário:
Faz muito tempo que não escrevo no blog, não porque deixei de ler, mas porque não estava inspirada para escrever. Mas após assistir esta quinta temporada de Guerra dos Tronos e de ver toda a repercussão que teve, resolvi escrever sobre a série e quem sabe voltar com os posts do blog.

Esta quinta temporada me deixou confusa, pois li A Dança dos Dragões no começo de 2014 e quando assistia aos episódios da série não sabia se havia ocorrido mesmo no livro ou não, então estou relendo A Dança dos Dragões.

Bom primeiro vou comentar o que achei da série, não achei tão ruim como a maioria está comentando, achei sim que faltou algumas coisas e que mudaram outras, mas entendo que é impossível os diretores conseguirem serem fiéis ao livro, que é bastante detalhista e bem grande. Só achei que o último episodio da série ficou corrido e os acontecimentos foram jogados em nossa cara...kkkk

Para quem não leu o livro vou citar acontecimentos que  se passaram na série e não ocorreram no livro e que deixaram alguns fãs da série ou quase a maioria indignados.

No livro  Melisandre, a Rainha Selyse e a princesa Shireen não marcharam com Stannis para Winterfell, logo ele não queimou sua filha em devoção ao Deus R'hllor.
Jon foi esfaqueado mesmo por seus irmãos (traidores) da Patrulha da Noite, mas a Melissandre está lá e acho que será ela quem vai curá-lo ou ressuscitá-lo.  
Trecho do livro A Dança dos Dragões (com qualidade não muito boa):
  


Na série não mostra um personagem que vai levar o Bran até o corvo de três olhos, eles o chama de Mão Frias, ele é um caminhante (os Outros), e com esta segunda leitura tive a impressão que é o tio do Bran, que era da Patrulha, que desapareceu, o Benjen Stark.




Ainda estou no começo do livro, mas estou prestando mais atenção, já que é minha segunda leitura e que acabei de assistir a série. Não lembro da Myrcella morrer, da Sansa ter casado com Ramsay e da Daenerys sendo cercada pelos dothrakis.

A Arya fica cega sim, mas ela não mata aquele homem por vingança e ela fica cega somente como aprendizado para que deixe de ser Arya Stark e vire Ninguém. Outra coisa que fiquei esperando ansiosa foi a ressurreição da Catelyn, não sei se posso dizer assim, mas o livro descreve ela como se tivesse virado um zumbi e ela tem seguidores, achei que apareceria no último episódio da série, quem sabe na sexta temporada. 

E muitas outras coisinhas que ficam faltando que não dá para colocar tudo, mas estes que citei são os mais importantes e que para quem não lê os livros e só assiste a série fica achando tudo muito violento e muito errado.

Estou muito ansiosa para o próximo livro e com medo que não saia antes da sexta temporada, porque o inverno está chegando.


Novos na prateleira

Nenhum comentário:

Entrei no submarino para ver as promoções e encontrei esses livros na promoção, como tenho que ler o livro cinco da série As Crônicas de Gelo e Fogo, comprei.



Só que quando chegaram, fiquei um pouquinho decepcionada com A Filosofia de Tyrion Lannister, ele é capa dura só que é pequenininho, achei que era grande e que falava sobre o personagem, só que são frases do Tyrion. Mas como amo a série e quero tudo dela, não me arrependi. As folhas são estilo revista, só que mais grossas.












As ilustrações são de Jonty Clark, o livro está bem bonito, como tudo que a Leya faz. Já A Dança dos Dragões é lindo, são 864 páginas, que não vejo a hora de ler.



Filme: As Brumas de Avalon

Um comentário:
Filme: As Brumas de Avalon
Diretor: Uli Edel
2001
Duração: 3 Horas




O filme é baseado nos livros da série As Brumas de Avalon, mas quando fui pesquisar sobre o filme, soube que foi exibido no formato de minissérie no canal TNT.

Bom não vou falar sobre a sinopse do filme, pois são baseados nos livros. Quem ficar interessado pode procurar no meu blog que tem resenha dos quatro livros.

Eu gostei muito dos livros, pois conta a história de Artur, na visão das mulheres que o rodeavam, sua mãe, Igraine, sua irmã, Morgana, suas tias, Morgause e Viviane e sua esposa Gwenhwyfar.

Bem, mas como em todo filme baseado em livro, e neste não poderia ser diferente, eles mudaram a história. Para que fazer um filme baseado no livro, se vai mudar toda a história. Já está me desanimando assistir adaptações.

Achei o filme muito corrido, claro que foram 3 horas de filme, já que são quatro livros, mas os sentimentos acaba não nos envolvendo, e pra quem não leu os livros, não vai sentir a paixão dos personagens, pois esta história têm muito disso, eles têm um amor intenso, que atravessa barreiras. 

E muitos acontecimentos não ocorreram no tempo cronológico do livro. Não mostra o quanto o padre influenciava Artur(Edward Atterton), o quanto ele era manipulado por sua esposa Gwenhwyfar (Samantha Mathis), o amor que ele tinha por Morgana.



Morgana (Julianna Margulies) não foi um personagem forte, que enfrentou tudo por sua antiga religião, pela Deusa, que foi capaz de deixar tudo, inclusive o amor de sua família para cumprir com seu dever de Sacerdotisa, ela parecia uma personagem coadjuvante. Ficou somente vendo os acontecimentos, ela teve todas as perdas que ocorreram no livro, mas não fez nada.

Já o personagem que mais gostei, e foi tudo e mais um pouco do que eu imaginava, foi o Mordred (Hans Matheson), ele foi muito influenciado por sua tia avó Morgause e criou um ódio, um desejo de vingança, que é muito expressivo no filme, o ator foi fantástico, meu preferido.



E o final, foi totalmente mudado, não sei se por falta de tempo, pois já tinham corrido quase 3 horas de filme, ou por achar que iria ficar melhor, mas não gostei do final, como eles fizeram para mostrar a morte dos personagens do livro, de outra maneira, sem sentido. O final só tem morte, e não te emociona nem um pouco, sendo que no final do livro eu chorei horrores.

Mas depois de tantas críticas eu ainda recomendo que assistam o filme, é gostoso assistir a adaptação de uma obra que você gostou tanto, mesmo que seja para criticar no final.





Cidade das Cinzas

Nenhum comentário:
Os Instrumentos Mortais
Cidade das Cinzas
Cassandra Clare
Editora Galera
Páginas 404


A sinopse do livro está cheia de spoiller, então para quem ainda não leu este livro aconselho a não ler a sinopse, mas pode ler a minha resenha, pois vou falar somente da evolução dos personagens e da história, já que a sinopse conta tudo o que tem de melhor, ainda bem que não li a sinopse antes de ler o livro.

Sinopse:
Clary Fray só queria que sua vida voltasse ao normal. Mas o que é “normal” quando você é uma Caçadora de Sombras assassina de demônios, sua mãe está em um coma magicamente induzido e você de repente descobre que criaturas como lobisomens, vampiros e fadas realmente existem? Se Clary deixasse o mundo dos Caçadores de Sombras para trás, isso significaria mais tempo com o melhor amigo, Simon, que está se tornando mais do que só isso. Mas o mundo dos Caçadores não está disposto a abrir mão de Clary — especialmente o belo e irritante Jace, que por acaso ela descobriu ser seu irmão. E a única chance de salvar a mãe dos dois parece ser encontrar o perverso ex-Caçador de Sombras Valentim, que com certeza é louco, mau... e também o pai de Clary e Jace.
Para complicar ainda mais, alguém na cidade de Nova York está matando jovens do Submundo. Será que Valentim está por trás dessas mortes? E se sim, qual é o seu objetivo? Quando o segundo dos Instrumentos Mortais, a Espada da Alma, é roubada, a aterrorizante Inquisidora chega ao Instituto para investigar — e suas suspeitas caem diretamente sobre Jace. Como Clary pode impedir os planos malignos de Valentim se Jace está disposto a trair tudo aquilo em que acredita para ajudar o pai?
Nessa sequência de tirar o fôlego da série Os Instrumentos Mortais, Cassandra Clare atrai os leitores de volta para o lado mais obscuro do submundo de Nova York, onde amar nunca é seguro e o poder se torna a mais mortal das tentações.



Clary não amadureceu de um livro para o outro, ela só mudou algumas atitudes por virtude de algumas mudanças em sua vida. Vários segredos vieram à tona e agora ela tem que lutar contra alguns sentimentos, mudar sua vida, pois tudo o que ela vivia era uma mentira.

Jace também tem que encarar várias verdades sobre o que viveu o que achava que era, ele sente como se estivesse perdido sua identidade e todos agora duvidam de sua integridade, ele fica muito ferido emocionalmente e fica preso sem saber a quem recorrer e como ele é muito teimoso e arrogante, fica ainda mais difícil Clary ajudá-lo.

Simon tenta de todas as maneiras chamar a atenção de Clary, sente-se em uma competição, aonde o prêmio e o coração dela. Mas ela acaba se envolvendo demais neste novo mundo e acaba, sem querer, fazendo parte dele.

Eles livro está com mais aventura, em Cidade dos Ossos, a história era mais para nos deixar familiarizado, e neste é um acontecimento atrás do outro, a leitura flui mais, cheio de intrigas, descobertas e que muitas vezes faz você duvidar que o vilão é a parte errada da história. 

Não sei porque mais tem algumas características neste livro, alias nos dois, que me fazem lembrar de Harry Potter, apesar de ter lido somente o primeiro livro, mas assisti todos da série, a magia, a varinha, que chama estela, o vilão. Não sei se a autora Cassandra Clare era fã, não pesquisei, mas algumas coisas me lembram, não que a história seja parecida, são as características.

Gosto bastante do triângulo amoroso do livro, aquela coisas de adolescente, que todos já sentiram, um frio na barriga, mão gelada, sem saber o que dizer, não conseguir olhar nos olhos da pessoa, adoro isso. E o amor não correspondido, uma amizade por trás desse amor, e o amor proibido, tudo fica mais emocionante.
Mas eu indico para todos, de todas as idades, que leiam, pois é uma história envolvente.





Sinal e Ruído

2 comentários:
Sinal e Ruído
Neil Gaiman e Dave Mckean
Editora Conrad



Em Londres, um diretor de cinema descobre que está com câncer e tem pouco tempo de vida. Ele estava para iniciar a produção do que seria seu maior filme: a história de um vilarejo na Europa Central durante os últimos minutos do ano de 999 d.C., aguardando a vinda do apocalipse. Agora esse roteiro jamais será filmado. No entanto, ele continua trabalhando na produção em sua mente, fazendo um filme que ninguém jamais verá. Ninguém a não ser você.





É o primeiro livro em histórias em quadrinhos que eu leio, tirando gibi, quando eu era criança.

Sinal e Ruído é uma história dramática, onde um diretor de cinema recebe a notícia de que tem um tumor e que tem poucos meses de vida.

Não nos é colocado o nome desse diretor, somente os pensamentos dele e quando há um diálogo, eles nunca pronunciam seu nome. Mas isso é o de menos.

O diretor estava planejando um novo filme, que para ele seria o melhor filme de todos os que ele já tinha feito. Então ele o foco, pra que fazer um filme que ele não irá conseguir terminar, não poderá assistir.

"O mundo está sempre acabando para alguém."

O filme seria sobre o apocalipse, e a partir daí ele tem várias reflexões sobre o que seria o apocalipse, várias citações da bíblia, sobre o juízo final e na verdade o apocalipse pode não ser o fim do mundo, um julgamento a todos, mas sim o fim de cada um, seu próprio julgamento, sua morte.

"Você só morre de fato quando a última pessoa que o conheceu estiver morta."

Neil Gaiman sabe como prender o leitor em cada página, o diretor sempre sonha com o roteiro do seu filme, ele vê os personagens e acaba escrevendo, isso acaba sendo o único passatempo para ele, pois ele se isola. E as reflexões do diretor, nos faz refletir também, porque temos tanto medo do fim? E quando este fim chegar, será que iremos julgar a nós mesmos, o que visemos ou deixamos de bom para o mundo.



As ilustrações foram de Dave Mckean, com traços de mostram muito bem os sentimentos de cada personagem, principalmente a do diretor.



Faltou mais drama, para uma pessoa que estava a beira da morte, deveria ter sido mais marcante, mais tocante. Foi um pouco curto também, mas não sei se estou sendo justa neste julgamento, pois é o primeiro quadrinho que leio, então fica um pouco difícil de avaliar. Mas recomendo bastante, Neil Gaiman, como já disse sabe prender o leitor.




Os Instrumentos Mortais - Cidade dos Ossos

Um comentário:

Os Instrumentos Mortais -
Cidade dos Ossos
Cassandra Clare
Editora Galera
Páginas 459

Clary Fray, 15 anos, decide passar a noite em uma boate da moda em Nova York, e o maior de seus problemas provavelmente seria lidar com o truculento segurança da porta, certo? Errado. Clary testemunha um crime, e não um crime qualquer: um assassinato cometido por três adolescentes cobertos por enigmáticas tatuagens, brandindo armas esquisitas. Para completar, o corpo da vítima desaparece no ar.
Clary quer ligar para a polícia; quer gritar; quer chamar seu amigo, Simon, que ficou na boate enquanto ela teve a infeliz ideia de perseguir o menino bonitinho de cabelo azul... Mas como explicar a eles que ninguém mais na rua enxerga os assassinos, apenas ela? Como provar que houve um crime se não há rastro algum do sangue do garoto morto — aliás, era mesmo um menino?
Mas ela nem tem tempo de tomar uma decisão; logo os assassinos se apresentam para a estranha mundana que não deveria vê-los, mas vê. Jace, Alec e Isabelle são Caçadores de Sombras, guerreiros cuja missão é proteger o mundo que conhecemos de demônios e outras criaturas. Vampiros que saem da linha, lobisomens descontrolados, monstros cheios de veneno? É por aí mesmo. E depois desse primeiro contato com o Mundo de Sombras, e com Jace — um Caçador que tem a aparência de um anjo, mas a língua tão afiada quanto Lúcifer —, a vida de Clary nunca mais será a mesma. Mesmo.


Clary tem 15 anos e sua vida muda radicalmente, ela passa a ver o mundo de uma maneira diferente, quando vai à uma festa com seu melhor amigo Simon, ela presencia um assassinato, mas os assassinos falam coisas estranhas de demônios e o corpo desaparece, ela sai da boate correndo sem saber o que fazer e duvidando do que somente ela viu. E quando encontra com Jace, lindo, louro, forte faz com que ela queira saber mais sobre essas pessoas e o que eles estavam fazendo.

Ela descobre que existe um mundo paralelo ao dela, que os mundanos (pessoas normais) não podem ver, nem imaginam que exista. O Mundo de Sombras onde os Caçadores das Sombras, estão para proteger todos dos demônios do Submundo que infligirem o pacto.

Mas Clary está mais envolvida neste mundo do que ela imagina e no dia após a festa sua mãe é levada e quando Clary chega em casa um demônio tenta matá-la. Clary irá descobrir que toda sua vida foi uma mentira e terá que se unir aos Caçadores das Sombras para encontrar sua mãe.

Clary é uma adolescente, 15 anos, mas ela não é aquela típica adolescente chata, achei ela bem madura, não ficava chorona com todos os acontecimentos e sim cada vez mais forte. Ela é bonita, mas não linda, e se veste de um jeito não muito vaidoso. Seu melhor amigo, Simon, é como um irmão pra ela, eles se conhecem desde pequenos e fazem tudo juntos.

Simon é um Nerd, daqueles que não sabe ficar um minuto quieto, sempre fazendo perguntas, mas um fiel companheiro que faz de tudo para ajudar sua melhor amiga.

Jace é bonitão, forte, louro, mas um chato que sabe que é bonito e fica o tempo todo se gabando, irritando a Clary e isso traz sentimentos entre eles, uma atração, ele é muito sarcástico, vive fazendo piadinhas sobre tudo e todos. Mas Jace carrega uma magoa no coração, esperando o momento de ter sua vingança, então toda aquela auto-confiança dele é para esconder uma dor.


Issabelle é linda, tem o cabelo liso, atrai o olhar de qualquer um, muito vaidosa, gosta de chamar a atenção e isso faz com que Clary se sinta o patinho feio.

Alec é irmão de Issabelle, ele é muito fechado, não gosta de brincadeiras e não gosta da Clary.


A história é muito boa, criar um mundo paralelo ao nosso, que nós mundanos não podemos imaginar, já que não vemos nada, com demônios, lobisomens, vampiros, fadas, sereias e tudo isso na idade contemporânea, algo que faz você engajar na fantasia e se sentir dentro deste mundo, não fica nada forçado, tudo parece natural, e você quer devorar cada página e saber mais do desfecho da vida da Clary.

Bem e o mais emocionante de tudo isto é que o filme será lançado aqui no Brasil, simultaneamente com os EUA, em 23 de agosto, pelos trailers que já foram lançados o filme parece muito fiel ao livro, espero que supra todas as nossas expectativas.
  


Confesso que eu não gostei muito do ator Jamie Campbell Bower, para o papel do Jace, ele não é bonito e charmoso como o Jace, tomara que a interpretação dele seja boa. Agora os outros atores são como descritos nos livros. Clary, na interpretação da atriz Lily Collins (ela fez a Branca de Neve em Espelho,espelho meu); Alec, na interpretação de Kevin Zegers; Simon, na interpretação de Robert Sheehan e a que eu mais gostei foi a mãe de Clary, Jocelyn que terá a triz Lena Headey para a interpretação, que faz a Rainha Cersei em Guerra dos Tronos, linda.








Momentinhos

Nenhum comentário:
Não posso deixar de postar sobre o lançamento do segundo livro da trilogia, Refém da Obsessão, li o livro Ladrão de Almas, em dezembro de 2012 e não via a hora do lançamento do segundo. E agora a Novo Conceito vai lançar dia 24 de julho, não vejo a hora, pois o primeiro livro é maravilhoso, um dos meus livros favoritos.
A capa do Refém da obsessão é linda, chama muito a atenção, um vermelho super vibrante, amei.




E o book trailer nos traz exatamente o gênero do livro um suspense sobrenatural.


video